...

Gota de luz dourada, ponto ínfimo, esvoaçando junto ás estrelas na imensidão do Universo, de constelações em galaxias, de sonhos em emoções, de fantasias em imaginação ...


Goutte de lumière dorée, point infime, virevoltant avec les étoiles dans l'immensité de l'Univers,de contellations en galaxies, de rêves en émotions, de fantaisies vers l'imagination ...






sexta-feira, 14 de março de 2014

Lição de sabedoria nº 6

 
«Algumas substâncias que ingerem ou que são infusas no vosso corpo podem ter grandes consequências sobre os fechos que bloqueiam o acesso às vossas multidimensionalidades. Quando essas substâncias químicas desbloqueiam o acesso a certos planos das vossas multidimensionalidades, ficam completamente numa outra vibração, numa outra consciência, numa outra energia.
 
Vocês compreenderam que a absorção de drogas ou por vezes mesmo do álcool faz saltar artificialmente esses acessos. É aí que se encontra o grande perigo para todos os seres que, artificialmente, querem aceder a outras partes deles mesmos, num primeiro nível das suas multidimensionalidades, isto quer dizer no terceiro ou quarto nível destas, que são imensas e inconcebíveis para um ser de terceira dimensão, para um ser que vive na matéria.
 
Assim têm acesso, artificialmente, a outras partes de vós mesmos, a outras realidades. É por esta razão que alguns seres sentem-se muito melhor em outras partes deles mesmos e não querem mais experimentar a Terra e a matéria.
 
Podem adquirir esses estados de consciência ou esses acessos às vossas outras multidimensionalidades através de um controlo permanente do que são, através de um controlo permanente dos vossos pensamentos, das vossas palavras dos vossos sentimentos, mas isto é muito mais difícil porque, como já dissemos muitas vezes, o guardião do limiar está muito vigilante.
O guardião do limiar também se chama o mental. Tem um papel importante na vossa encarnação. Não só é o motor mas também, apesar de tudo, aquele que permite experimentar. Se não tivessem uma mente e um ego por vezes tão poderosos, não experimentariam a vida neste mundo como o fazem actualmente desde há eões.
 
Todavia, desaconselhamo-vos totalmente o uso de todas essas substâncias que vos permitiriam fazer saltar os fechos, fazer saltar os fechos que vos levam às vossas multidimensionalidades, pois artificialmente isso não vos traria nada a não ser um grande desespero e uma destruição não só do vosso corpo físico mas também das experiências, que teriam, mal feitas.
 
Claro, os seres programaram certas experiências, mas através dessa programação, existe um patamar que podem passar ou não passar, isto quer dizer, o limiar da destruição. Infelizmente muitos seres perdem consciência desse limiar e ultrapassam-no. Esse patamar de destruição chama-se aniquilamento pela absorção de droga ou álcool ou também aniquilamento pelo não respeito total do corpo
 
É necessário que compreendam, e particularmente todos aqueles que puderam viver essa experiência, que por vezes é muito mais fácil que o supõem, atingir o que o nosso canal gosta de chamar estados de graça. Devem simplesmente deixar as coisas se colocarem em vocês. Tentem o mais possível não deixar intervir a vossa dualidade e a vossa personalidade, a cada instante da vossa vida.
 
Desejamos ensinar-vos a se tornarem outros. Para vos ensinar a se tornarem outros, devem esquecer ao máximo o que são como personalidade humana para se recentrarem ao máximo sobre o que são como seres Divinos. Para o conseguirem, não pedimos para aniquilar em vocês tudo o que é sombra pois precisam dessa parte de sombra para descobrirem realmente a vossa própria luz.
 
Pedimo-vos simplesmente para compreenderem, para aceitarem tudo o que não é luz em vocês, aceitarem mesmo com alegria, reconhecerem-no e sobretudo, quando o reconhecerem, iluminem-no simplesmente com a vossa luz interior e o vosso Amor incondicional.
 
O ser humano vive a dualidade porque ela faz parte deste mundo, porque para poderem experimentar deve haver contrários. Isto é uma obrigação, e mesmo aqueles que vocês chamam os Grandes Mestres e os iniciados, vivem esses contrários até ao fim das suas encarnações terrestres pois também eles estão submissos a isso.
 
Tudo são contrários, a noite e o dia, o bem e o mal, mas esse contrário é apenas a continuidade da mesma coisa. Quando compreenderem que o bem e o mal são a mesma energia vivida de forma diferente para o bem do experimentador, deixarão de se culpabilizar em relação aos vossos actos, em relação às vossas palavras, em relação aos vossos pensamentos. Simplesmente pedimo-vos que reconheçam isso. A partir do momento em que reconhecerem o que são, em que reconhecerem as vossas palavras, os vossos pensamentos, os vossos sentimentos sejam eles quais forem, vocês poderão intervir. Se ficarem a teimar, se quiserem ter sempre razão, não progredirão porque estão sempre dando energia à outra parte de vós mesmos, aquela que não vos deixa necessariamente avançar.
 
Antes de poderem atingir um nível em que deixarão de ter a tentação ou o desejo desta dualidade, em que deixarão de ter a tentação e o desejo de se criticarem a vós mesmos ou criticarem os outros que não são como vocês desejariam que fossem, e antes que tenham ultrapassado tudo isto, deverão aceitar totalmente o que são, os vossos comportamentos. Pouco a pouco, as coisas se apagarão e deixarão de precisar da outra parte de vós mesmos em acção ou em actividade para experimentarem e compreenderem. Vocês compreenderão e experimentarão a outro nível de consciência.
 
Para poderem fazer um trabalho realmente eficaz, precisam de ter vontade de fazê-lo, é realmente preciso terem vontade de se transformar, é realmente preciso terem vontade de estarem prontos para renascer, não só para uma outra consciência mas também para uma outra frequência vibratória.
 
Se pudessem ter, nem que fosse apenas no espaço de um segundo, a consciência do que são na realidade, ficariam muito espantados, tão espantados que a vossa inteira vida ficaria perturbada! Alguns seres têm a consciência muito veloz do que são e por vezes transformam-se como por encanto. Desejamos que cada um possa sentir pelo menos uma parte do que realmente é para que isso lhe permita avançar muito mais rápido e não ficar prisioneiro dos seus sofrimentos e do seu mal-estar.
Também gostaríamos de vos falar um pouco do astral.
 
Por cima de vocês, (de facto não é acima porque os planos interpenetram-se com frequências vibratórias diferentes, muito simplesmente), existe um plano que está muito próximo de vocês. Não falamos do baixo astral, esse não nos interessa. Existe mas não tem nenhum valor para vocês, não vos diz respeito. Falamos do primeiro plano, que em si contem uma multitude de níveis, aquele para onde vai a grande maioria dos seres humanos que experimentaram a Terra, estejam esses humanos à espera de uma próxima encarnação ou, por vezes, à espera de uma viagem para outos mundos.
 
Todos os planos do astral, não falamos do astral inferior mas do astral médio e dos mais altos planos do astral, são compostos por uma multitude de sub-planos.
 
Nesse primeiro plano, ele mesmo dividido muna multitude de planos, de frequências, existem no entanto seres totalmente diferentes, que vocês podem sentir, captar, por vezes ajudar, almas que também podem por vezes vos enganar e é por isso que muitas vezes vos chamamos à atenção em relação a esse primeiro plano que é um dos mais fáceis de captar pois é aquele que está mais próximo de vocês.
 
Existe apenas um véu muito fino que separa esse primeiro plano do astral com o vosso plano de terceira dimensão. Com um pouco de esforço conseguirão ver todas as pessoas que deixaram este mundo, principalmente aquelas que vos são queridas, se elas não deixaram este primeiro plano para irem muito mais alto ou para uma outra esfera.
 
Depois encontra-se o plano intermediário , diríamos o plano médio do astral onde se encontram seres que já possuem uma grande experiência espiritual, artística, criativa. São os seres que compreenderam muitas coisas nas suas experimentações da vida. Também podem entrar em comunicação com eles, não vos enganarão mas ensinar-vos-ão, eles dar-vos-ão o que conseguiram compreender e integrar durante as suas viagens sucessivas ao planeta Terra ou a outros planetas.
 
Depois encontra-se o último plano, aquele que toca de muito perto com o plano Divino. Muitas vezes há interpenetração deste último plano do astral com os primeiros planos Divinos, isto quer dizer que os seres podem ir muito facilmente de um plano para outro para as necessidades de uma missão ou a as necessidades da sua própria evolução.
 
Os seres que por vezes vêm para vos ver pertencem a esse plano, isto quer dizer que estão em parte no último plano do astral e em parte no início do plano Divino. São seres que possuem um ensinamento espiritual muito mais elevado que o vosso que vêm vos ensinar e vos ajudar. Muitos dos vossos guias vêm desses planos porque têm a possibilidade de vos guiar melhor que aqueles que se encontram no plano médio do astral.
 
É muito mais difícil entrar em comunicação com eles pois as suas vibrações são muito elevadas, porque têm uma frequência inacessível para os seres que se encontram no plano da terceira dimensão.
Assim que tiverem acesso às outras partes de vós mesmos, principalmente quando os fechos das vossas multidimensionalidades saltam momentaneamente, podem aceder muito facilmente a outros planos de vós mesmos e ao plano superior do astral e ao primeiro plano Divino.
 
O mais difícil é o vosso plano de terceira dimensão, porque estão vibratoriamente demasiado “pesados” e não têm a possibilidade de ver os outros planos. Quando estão em encarnações em planos muito mais elevados, vocês têm a possibilidade de ver todos os planos inferiores e também, muitas vezes, se estiverem num plano do astral superior, ver os primeiros níveis do plano Divino.
 
Vocês têm um profundo desejo de nos ver, mas o véu que está na vossa consciência ainda está muito pesado. O vosso desejo de nos ver é nobre mas as vossas capacidades de retirarem esse pesado véu que nos separa estão condicionadas pela vossa forma de pensar, pela vossa forma de conceber a vida e sobretudo pela vossa personalidade.
 
Quando a vossa personalidade está totalmente adormecida, têm muito mais facilidades para aceder ao que somos ou a certos planos do astral.
 
Para conseguirem isso é necessário que estejam totalmente em paz com vós mesmos, não deve haver tristeza em vocês, mágoas, não deve haver níveis de consciência inferior. Para se permitirem aceder ao que há de mais elevado em vocês, devem-se abandonar ao que há de mais belo em vocês.
 
Vamos dizer-vos onde nos situamos em relação a esses planos. Alguns dos nossos irmãos, que por vezes vêm-vos ver, situam-se na fronteira, no limiar do mais alto plano do astral e do início do plano Divino. Muitos situam-se no primeiro dos planos Divinos e outros situam-se na sua grande maioria noutros planetas. Não têm absolutamente nada a ver com os vossos planos do astral mas vibratoriamente correspondem com o que vocês poderiam considerar como o alto astral ou o primeiro plano Divino.
 
Devem saber que tudo se repete ao infinito, que o que há no interior e nesta esfera também se encontra em outras esferas de terceira dimensão. Todos os planetas de terceira dimensão têm um plano astral, o que é perfeitamente normal porque, é um lugar de descanso, de integração e de compreensão das experiências, é também o lugar onde as almas se exercitam muito mais a trabalhar com o espírito.
 
Assim todos os planetas de terceira dimensão são exactamente como o vosso, com os mesmos ingredientes, com uma vida intraterrestre, uma vida terrestre e uma vida além do planeta.
 
Os planetas de quinta, sexta e sétima dimensão existem, são muito mais etéreos e não possuem astral, não precisam dele pois não existe tempo de descanso para as almas. Os seres humanos vivendo nesses mundos deixam a sua vida voluntariamente e não precisam de digerir as suas experimentações nos planos de descanso ou nos planos de estudos. Assim podem reencontrar a vida de qualquer forma, eles podem recriar um corpo tão facilmente quanto desejam no seu mundo ou em outra parte.
 
Repetimos, pois isto é importante, os planos do astral não existem apenas nos mundos de terceira dimensão. Quando o vosso mundo passar à quarta dimensão, os planos do astral deixarão de existir, ou pelo menos serão muito diferentes.»
 
Eles mostram-me uma espécie de nebulosidade muito clara que envolverá o planeta. Será um lugar de espera para uma reencarnação muito momentânea neste mundo ou em outro lugar. Não é um lugar de estadia, é simplesmente como uma “sala de espera”.
 
«Vamos falar da experimentação de cada um, do que pode acontecer de melhor ou de pior, da escolha que fez a alma ao encarnar-se na sua programação para viver este ou aquele evento.
Vocês programaram coisas importantes na vida mas têm sempre a possibilidade de ultrapassar a vossa programação.
 
Então quando alguma coisa muito difícil (ou menos difícil) de viver vos acontece, vivam sempre o evento na aceitação porque foram vocês mesmos que programaram o que vivem. Nunca devem incriminar ninguém do que vos acontece, vocês são os únicos donos da vossa encarnação, com a ajuda dos vossos guias, que escolheram convosco, tudo o que vieram experimentar na Terra.
 
Se se sentem infelizes, se não se sentem no vosso lugar no vosso mundo, é porque não compreenderam a vossa programação. Para compreenderem e integrarem as vossas experiências e para que não haja rebeliões, é necessário que saibam que programaram conscientemente todas as experiências que vivem, por mais difíceis que sejam, com a ajuda dos vossos guias.
 
A partir do momento em que aceitarem isso, nunca tornarão ninguém responsável por tudo o que vos possa acontecer e, no limite, até deveriam estar muito felizes por poderem ultrapassar continuamente todos os desafios que programaram para essa encarnação.
 
Para vos ajudar a viver os momentos difíceis que chamamos “momentos de grandes emboscadas” ou “arbustos com espinhos”, tentem simplesmente vos dizer que, apesar da solidão que por vezes podem sentir, vocês não estão absolutamente sós, estamos presentes junto de vocês.
 
Se tivessem consciência da nossa presença, a vossa solidão momentânea, o vosso desespero, as vossas fadigas ou tudo o que faz com que se sintam infelizes, deixaria de vos tornar infelizes; pelo contrário poderiam falar-nos daquilo que vos faz sofrer, poderiam partilhar connosco, e se aprenderem a fazer isso, podemo-vos assegurar que ficariam imensamente aliviados, ficariam como que regenerados.
 
Mesmo que não vos possamos responder por palavras, podemos responder-vos através de uma energia que projectamos sobre vocês, com que vos inundamos. A solidão é uma visão de espírito, a solidão não existe, nunca estão sós.
 
O que é necessário que aprendam para o vosso maior bem, é aceitarem os outros tal como são, nunca fazerem apreciações sobre seja quem for, cada um tem o seu modo de funcionamento e mesmo se por vezes os vossos próximos vos fazem sofrer, porque vos parecem diferentes do que esperam deles, digam-se que eles vos permitem avançar e experimentar. Se eles fossem como vocês desejariam que fossem, não seriam a ferramenta da vossa transformação, não seriam mestres momentâneos.
 
Para aceitarem os outros tal como são, vejam apenas o melhor no vosso irmão, no vosso amigo, no vosso cônjuge. Quanto mais virem o melhor no outro, mais verão também o melhor que está em vocês. Quanto mais virem o melhor no outro, mais realçarão esse melhor e lhe darão a energia para que se expresse.
 
É muito importante pois se se deixarem levar pelo turbilhão da dualidade, pelo turbilhão da incompreensão e do não desapego, podemos assegurar-vos que terão grandes sofrimentos.
 
As energias tornando-se cada vez mais poderosas, avivarão tudo o que vocês são. Poderão levar-vos para níveis de consciência extraordinários semelhantes àquelas que alguns experimentam através de uma anestesia ou tomada de droga, como já vos dissemos.
 
Por isso preparem-se a cada dia; mesmo se tiverem momentos em que não se sintam muito bem, em que não se encontrem no alinhamento do nosso ensinamento por causa das experiências que vivem, isso não tem importância. O importante é compreenderem, o importante é não dormirem no que são, o importante é aceitarem o bom como o mau, o importante é também e sobretudo verem e tentarem ver o melhor em todas as coisas.
 
Alegrem-se continuamente por tudo o que têm, da imensa sorte que têm por estarem despertos, alegrem-se continuamente por estarem bem de saúde, terem amigos que vos dão o que vos podem dar, agradeçam permanentemente por terem uma família que, muitas vezes, vos dá o seu amor como pode.
 
Em vez de se lamentarem sobre o que não podem ter ou sobre o que esta ou aquela pessoa vos faz suportar, agradeçam, agradeçam por estarem rodeados, agradeçam por amarem e serem amados, pois mesmo que tenham a impressão de não serem amados, são-no, mesmo que não seja necessariamente da maneira que desejariam.
 
Mas qual é a boa maneira? O principal é que alguém pense em vocês, que estejam no coração dos outros mesmo que não o estejam continuamente, o principal é saberem que uma, duas ou várias pessoas têm de vez em quando um pensamento generoso, um pensamento de Amor ou uma alegria em relação a vocês. Pouco a pouco compreenderão que o Amor é isso, que tudo o resto são apenas ilusões do Amor.
 
Por isso desejamo-vos um imenso desabrochar, desejamos que possam finalmente compreender além das palavras que pronunciamos, que possam finalmente compreender além do sentimento, que possam finalmente compreender a grande importância que os vossos pensamentos têm.»
 
Eles mostram-me uma bela imagem para vos fazer entender melhor o que são os vossos pensamentos. Eles dizem-me:
 
«Imaginem continuamente que criam filhos, que lhes dão vida. Alguns são magníficos, harmoniosos, outros são malformados. Dão-lhes vida mas não cuidam mais deles, e esses filhos fazem asneiras, também podem por vezes virarem-se contra vocês e vos destruir.
 
Então, cada vez que pensam, tentem compreender e integrar que um pensamento é um filho e que este pensamento precisa de muito Amor para crescer e desabrochar como uma criança que põem no mundo.
 
Se derem muito Amor aos vossos pensamentos, nunca se voltarão contra vocês, e pelo contrário eles irão ajudar todos os seres que precisam da sua força, da sua energia e do seu Amor. É muito importante, não se esqueçam disso!»


Pode reproduzir o texto seguinte e dar cópia dele sob a seguinte condição:
  • que não seja cortado
  • que o seu conteúdo não seja modificado
  • que faça referência ao nosso site http://ducielalaterre.org
  • que o nome de Monique Mathieu seja mencionado

sexta-feira, 7 de março de 2014

Lição de sabedoria nº5

 
«Pedimo-vos para ficarem centrados, para ficarem alinhados o mais possível.
 
Existe em vocês duas partes muito específicas, uma parte com energia positiva e uma parte com energia negativa, isto quer dizer uma parte de energia masculina e uma parte de energia feminina, o que também é chamado Yin e Yang. É necessário que tentem harmonizá-las o mais possível. Se uma delas tem uma maior actividade ou emite uma maior energia que a outra, isso desconcentra-vos. Quando estão alinhados, quando estão centrados, todo o resto se equilibra, todos os vossos centros de força ficam em consonância, em harmonia, e todas as vossas multidimensionalidades ficam também em consonância.
 
O vosso pensamento é criador mas também pode ser consideravelmente desestabilizante para os vossos diversos corpos, como para os vossos centros de força. O mais vulnerável é o centro de força emocional, e é aquele que gere uma grande parte da vossa vida, das vossas relações com vós mesmos e com os outros.
 
Ficar centrado necessita de um grande trabalho sobre si. Quando não estão centrados, sentem-se ao lado de vós mesmos, sentem-se mal no interior, ou mal na vossa cabeça, mal nos vossos pensamentos.
 
Nesse caso, eliminem de vocês tudo o que puder ser causador de perturbações e visualizem-se completamente recentrados, as duas partes formando o vosso ser completamente unificadas. Por isso devem trabalhar ao máximo o desapego e a aceitação de todas as experiências que vos são dadas, devem ser tolerantes com vós próprios e com os outros, é preciso sobretudo, e antes de mais, que tenham muito Amor por vós mesmos para poderem dá-lo aos outros. (Se o repetimos é porque são chaves que vos damos).
 
Os nossos ensinamentos e tudo o que vos falamos e voltamos a falar, e que voltaremos a falar continuamente, são chaves que vos permitem ficar centrados o mais possível. Se não usarem essas chaves, não ficarão centrados, ficarão sempre desfasados em relação a um centro de força ou outro, ficarão ainda em desfasamento em relação à vossa própria dualidade e em relação às vossas multidimensionalidades. Por isso devem começar a vossa transformação pela ponta certa.
 
Vamos indicar-vos um pequeno exercício muito simples que poderá permitir-vos reencontrarem-se), pelo menos após terem eliminado todas as turbulências vindas da vossa mente ou do vosso centro emocional. Nunca se poderão recentrar, alinhar os vossos centros de força, se houver turbulências no vosso centro emocional e nos vossos pensamentos.
 
Visualizem-se encostados a um imenso cilindro de luz dourada. Esse cilindro de luz enterra-se na Terra e sobe para o céu tão longe quanto a vista possa alcançar. Assim estão encostados, de pé e bem direitos contra esse pilar de luz. Pouco a pouco, a luz dourada penetra pela coluna vertebral e por todos os centros de força como uma vara muito rígida e luminosa que vos liga à perfeição. Mesmo que não girem à mesma velocidade ou não tenham a mesma força, os vossos chacras ficam assim bem alinhados.
 
Depois, partindo do vosso centro de forca coronal, visualizem essa grande vara de luz que se dirige para as vossas multidimensionalidades.
 
Como idealizar as vossas multidimensionalidades? Imaginem que mesmo por cima de vocês, um outro vós-mesmo mais perfeito que o primeiro na sua forma, nos seus pensamentos, na sua forma de amar e muito mais luminoso. Essa multidimensionalidade é autónoma mas todavia completamente ligada ao vosso corpo físico, à vossa consciência humana.
 
Por cima desse outro vós-mesmo, visualizem outro muito mais belo, muito mais luminoso que o segundo (porque o primeiro é o vosso corpo físico) e continuem assim até que a vossa consciência não possa criar mais, pois o ultimo estará perfeito.
 
Pouco a pouco, tragam de volta todas as vossas multidimensionalidades na sua perfeição umas dentro das outras como bonecas russas, façam-nas penetrar no centro de vós mesmos e tornam-se perfeição. A vossa parte mais perfeita purificou e transformou todas as outras até chegar ao vosso corpo físico para transformá-lo, para transmutá-lo.
 
Se não desejarem fazer o exercício das bonecas russas, façam simplesmente o exercício da coluna luminosa, deixem essa luz penetrar-vos e visualizem-se totalmente centrados em relação a essa luz.
 
Quando tiverem um desafio por superar, uma experimentação para ultrapassar ou viver e que não sabem logo qual é a boa atitude que devem escolher, para vos ajudar a se transformarem melhor, se compreenderem melhor, perguntem o seguinte: se eu fosse um sábio, o que diria o sábio frente a esta ou aquela situação? E verão com que facilidade as respostas surgirão e com que facilidade conseguirão ultrapassar os vossos próprios limites.
 
Também podem, se isto vos consola ou vos convém melhor, dizer: existe um sábio ao meu lado, como agiria ele nesta ou naquela situação? O que diria? O que pensaria? Como amaria? Poderão ver com que facilidade as respostas chegarão porque nesse momento não é o vosso ego que intervirá, é qualquer coisa muito mais poderosa e também muito mais sábia em vocês (ou ao vosso lado, pouco importa onde o situarem, situem-no onde vos convier, simplesmente de forma a vos simplificar o trabalho).
 
É necessário que tomem cada vez mais consciência da vossa nova humanidade, dos vossos novos desejos, dos vossos novos pensamentos, da vossa nova maneira de ser, de amar e de viver. Pouco a pouco tudo se vai colocar em vocês, as transformações acontecerão cada vez mais depressa e suceder-se-ão. Se souberem olhar para vós mesmos e estiverem atentos, aperceber-se-ão cada vez mais dessas mudanças. Acolham-nas com muita alegria, amor e gratidão pelo trabalho que cumpriram e que vos permite esta transformação. Tenham muita gratidão e Amor por vós mesmos e pela Fonte.
 
Neste momento há turbulências muito grandes, como ventos cósmicos muito poderosos. Esses ventos cósmicos geram energias de transformação desestabilizantes. Quanto mais forem em direcção a essas transformações, menos serão atingidos por esses ventos cósmicos. Em vez de serem varridos como pequenas folhas, voarão suavemente, deslocar-se-ão onde bem vos apetecer sem constrangimentos (é uma imagem, claro).
 
Também há poderosas infusões de Energias Crísticas. São dadas aos homens para que possam abrir em grande o seu coração, para que se preparem para acolher o Amor Divino neles, o Amor divino que vai iluminar este mundo.
 
O vosso Grande Irmão de Amor activa-se consideravelmente neste momento e a sua imensa nave de luz nunca esteve tão perto da Terra".

Pode reproduzir o texto seguinte e dar cópia dele sob a seguinte condição:
  • que não seja cortado
  • que o seu conteúdo não seja modificado
  • que faça referência ao nosso site http://ducielalaterre.org
  • que o nome de Monique Mathieu seja mencionado